Dia do Consumidor: Origem da data + 15 dicas

O Dia do Consumidor é considerado uma das datas mais importantes para o calendário do varejo e dos consumidores ávidos por promoções e descontos! Mas, se você acha que foram os varejistas que criaram a data, achou errado!

Postador por Oiti 22/03/22 às 14:38
Dia do Consumidor: Origem da data + 15 dicas

Por Juliana Fujiwara e Fernando Miranda

 

O Dia do Consumidor é considerado uma das datas mais importantes para o calendário do varejo e dos consumidores ávidos por promoções e descontos! Hoje em dia, as ofertas acontecem durante toda a semana em algumas lojas físicas e online. Mas, se você acha que foram os varejistas que criaram a data, achou errado!

 

Como surgiu o Dia do Consumidor

 

No dia 15 de março, há 60 anos atrás, o presidente norte-americano John F. Kennedy assinou um decreto nos EUA que reconhecia democraticamente os diretos do consumidor.

 

Após a canetada, discursou sobre o direito do cidadão a escolhas, informações, segurança e de ser ouvido pelas empresas. O Brasil só entrou na onda em 1988, com a inclusão na Constituição Federal do inciso XXXII do artigo 5°, com regulamentações sobre direitos dos cidadãos em relação a compras e prestação de serviços.

 

Logo depois, mais um avanço: em 1990 foi criado o famoso Código de Defesa do Consumidor, que ajudou evoluir a regulamentação das relações de consumo no país.

 

Com o advento das compras online, o Governo disponibilizou uma versão digital do CDC para consulta. Você pode checar as normas antes de finalizar aquela compra feita por impulso e pode ser acessando este link.

 

As vendas online só crescem, mas as fraudes também Segundo um estudo da FGV, o volume de empresas que aderiram ao comércio eletrônico no país subiu de 50% em 2019 para 80% em 2022. Ainda, 42% estão preocupados com a sua segurança no ambiente digital.

 

Outro estudo, do Serasa Experian, aponta que o Brasil teve mais de 4,1 milhões de movimentações suspeitas de fraude em 2021, com destaque para o segmento de bancos e cartões, com 2,3 milhões de tentativas, um aumento de 33,3% em comparação a 2020.

 

Ou seja: nunca tivemos tantas opções e facilidades para comprar online, mas também nunca estivemos tão vulneráveis a ataques digitais.

 

A biometria, uma das especialidades da Oiti, inclusive, é citada como uma das opções antifraude mais efetivas para os consumidores: dos entrevistados pela FGV, 75% consideram que as soluções de biométricas parecem ser mais efetivas e confiáveis.

 

Afinal, elas usam a face, olhos, expressões e até movimentos corporais como barreira para que seus dados sejam usados como material de fraude e estelionato.

 

Como se proteger das fraudes no Dia do Consumidor?

 

Apesar de todo o trabalho de conscientização feito pelas empresas e veículos de comunicação, muita gente ainda cai em golpes relativamente simples.

 

Em datas como esta os fraudadores fazem a festa e geram boa parte de seus lucros ilícitos.

 

Fizemos uma lista com dicas com ações básicas e até mais avançadas para você ir além e ficar bem protegido na hora de torrar o seu rico dinheirinho por aí:

 

1. Suspeite e investigue: fique de olho em pessoas que pedem informações em canais não-oficiais das empresas que você confia; examine cuidadosamente links e até a ortografia dos textos;

 

2. Use senhas difíceis: prefira criar as suas palavras-passe com mais de nove caracteres e evite usar sequências como 123456789 ou informações pessoais;

 

3. Mude suas senhas com frequência: incluindo senhas dos sites de e-commerce que você mais gosta.

 

4. Controle seus extratos bancários: fique de olho em qualquer movimentação estranha, acesse semanalmente ou até diariamente para monitorar;

 

5. Ative suas notificações bancárias: entre nos aplicativos financeiros para ativar mensagens para cada compra feita e examine as informações com atenção;

 

6. Limpe e atualize os dispositivos: mantenha seus gadgets livres de aplicativos duvidosos e seu antivírus sempre atualizado;

 

7. Digite manualmente os links: busque o endereço oficial e digite diretamente no browser, evitando clicar em promoções por links enviados via WhatsApp, grupos e outros chats, mesmo de pessoas de confiança;

 

8. Use redes Wi-Fi confiáveis: se estiver fora de casa, prefira usar o plano de dados do celular, nunca use redes de shopping centers, bares e outros locais.

 

9. Cuidado com cartões físicos e digitais: quando não estiver efetuando compras, bloqueie seu cartão digital. Em lojas físicas, verifique sempre se o cartão devolvido é realmente o seu cartão de crédito;

 

10. Cubra a mão ou a tela na hora ao digitar senhas: essa dica é especialmente importante quando compramos em lojas físicas. Olhe ao redor e nunca deixe que vejam sua senha;

 

11. Ative verificações de duas etapas: apesar de não ser suficiente, o double check ajuda a evitar o acesso de fraudadores menos experientes. Com isso, os aplicativos podem solicitar periodicamente um segundo código ou senha para acesso aos seus dispositivos e perfis;

 

12. Ative notificações de uso do CPF: no Brasil há empresas que fornecem o serviço de monitoramento de uso dos documentos. Não são gratuitos, mas são uma ótima ferramenta para manter sua identidade segura;

 

13. Evite compartilhar informações em excesso: desconfie de pessoas que pedem dados pessoas, como e-mail, telefone, CPF ou CNPJ para o “teste do PIX”. Bancos e empresas sérias não fazem esse tipo de verificação!

 

14. Monitore seu Registrato no site do Banco Central: com ele, você consegue descobrir todas as contas abertas em seu nome, quais são os limites, saldo devedor de empréstimos e financiamentos, entre outras informações. Acesse aqui;

 

15. Ative a autenticação facial ou biométrica: além de prática e segura, esse tipo de tecnologia usa características singulares para destravar dispositivos e até autorizar compras.

 

Cai em um golpe. E agora?

 

Mesmo se informando e tomando os cuidados relatados acima, qualquer pessoa está suscetível a se tornar um alvo de criminosos, saiba como agir diante de um golpe:

 

• Boletim de ocorrência: Em casos de fraudes de contas bancárias, cartões de crédito utilizados por terceiros, saques do auxilio emergencial, entre outras situações;

 

• Guarde as evidências: Armazene as provas como prints de tela, e-mails e mensagens recebidas, entre outras. Além disso, formalize reclamações em sites de consumidores e no site do Procon, do Ministério da Justiça;

 

• Contate a instituição financeira e ou empresa: Em seguida, entre em contato com a instituição financeira. Em casos como o de cartão clonado e saques indevidos, ela pode bloquear sua conta e cartão, evitando que os criminosos ajam novamente;

 

• Avise as pessoas próximas: Para casos como o do WhatsApp clonado, avise todos os seus amigos e parentes para não realizar nenhum tipo de transferência em seu nome.

 

Agora que você já sabe como se prevenir de fraudes no Dia do Consumidor, que tal conhecer mais sobre a gente? Você sabia que a Oiti é pioneira da biometria facial no país?

 

Somos apaixonados por pessoas e queremos revolucionar as relações entre empresas e seus usuários com tecnologia segura, eficiente e inovadora.

 

Conheça as nossas soluções de Autenticação Facial,  Bureau de FacesLiveness e muito mais no site: www.oititec.com.br

 

Se você curtiu as nossas dicas, não esqueça de compartilhar com os amigos e comentar aqui o que achou do conteúdo! 💚

Precisa de ajuda profissional?
Fale conosco.

Fale conosco